Tamanho do texto

(Reuters) - Segue abaixo alguns termos importantes do acordo entre os ministros de Finanças da zona do euro sobre um pacote de resgate à Grécia, que em contrapartida deverá implementar um plano de austeridade.

COM QUANTO DINHEIRO A GRÉCIA PODE CONTAR?

(Reuters) - Segue abaixo alguns termos importantes do acordo entre os ministros de Finanças da zona do euro sobre um pacote de resgate à Grécia, que em contrapartida deverá implementar um plano de austeridade.

COM QUANTO DINHEIRO A GRÉCIA PODE CONTAR?

Com um total de 110 bilhões de euros (147 bilhões de dólares).

QUEM EMPRESTARÁ À GRÉCIA?

Todos os países que adotam o euro como moeda e o Fundo Monetário Internacional (FMI). Os Estados-membros da zona do euro vão contribuir com os empréstimos de acordo com suas respectivas participações no capital do Banco Central Europeu (BCE). Para detalhes, ver http://www.ecb.int/ecb/orga/capital/html/index.en.html

DIVISÃO ENTRE LÍDERES

A zona do euro vai oferecer 80 bilhões de euros em empréstimos bilaterais, enquanto 30 bilhões de euros virão do Fundo Monetário Internacional.

DURAÇÃO DO PROGRAMA DE EMPRÉSTIMO NO MODO STAND-BY

Três anos, até 2012.

PRIMEIRO EMPRÉSTIMO

Ainda neste ano, a Grécia vai receber 30 bilhões de euros da zona do euro. O país terá em mãos os primeiros recursos antes de 19 de maio, quando terá de honrar 8,5 bilhões de euros em dívida.

JURO

Para a zona do euro, empréstimos a taxas de juros variáveis serão feitos com base nas taxas de EURIBOR de três meses, enquanto financiamentos a taxas fixas serão baseadas nos juros correspondentes às taxas de swap de EURIBOR para tais vencimentos.

Além disso, haverá uma sobretaxa de 300 pontos básicos. Outros 100 pontos básicos serão cobrados por empréstimos mais longos do que três anos. Em conformidade com as regras do FMI, uma taxa de serviço de no máximo 50 pontos básicos será exigida para cobrir custos operacionais.

Os empréstimos da zona do euro serão feitos a uma taxa ao redor de 5 por cento, disse o comissário para Assuntos Econômicos e Monetários da UE, Olli Rehn, acrescentando que o juro cobrado pelo FMI é menor.

COMO A GRÉCIA VAI RECEBER O DINHEIRO?

A Grécia pediu ajuda financeira em 23 de abril, acreditando que não mais poderia se financiar sozinha nos mercados.

O Banco Central Europeu (BCE) e a Comissão Europeia afirmaram que o pedido tem justificativa. Os ministros de Finanças da zona do euro concordaram por unanimidade com o pacote após os yields exigidos para a compra de bônus gregos terem superado 10 por cento.

Um encontro entre líderes do bloco no dia 7 de maio vai endossar a decisão dos ministros. O presidente do Eurogroup, Jean-Claude Juncker, disse que não há possibilidade de os líderes mudarem a decisão.

As autoridades vão compartilhar informações sobre o progresso do processo de aprovação parlamentar dos empréstimos em seus respectivos países.

O BCE disponibiliza o dinheiro, enquanto a Comissão Europeia age como coordenadora dos empréstimos bilaterais.

O conselho do FMI deve aprovar nesta semana sua parcela de 30 bilhões de euros nos empréstimos à Grécia, disse o presidente do organismo, Dominique Strauss-Kahn.

CONDIÇÕES

Os financiamentos a Atenas estão condicionados a progressos na reforma fiscal e nas medidas de austeridade prometidas pelo governo grego, que serão revisados trimestralmente. A quantia dos empréstimos a ser paga será determinada após cada revisão trimestral.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.