Tamanho do texto

O governo da Rússia anunciou, neste sábado, que negocia fortes investimentos em petróleo e níquel cubanos, a cinco dias da visita que o presidente russo, Dimitri Medvedev, fará à ilha.

O embaixador russo em Cuba, Mikhail Kamynin, disse à revista "Opciones" que já há projetos concretos com empresas petroleiras russas na busca de hidrocarbonetos em águas profundas da zona exclusiva cubana do Golfo do México.

Nessa região, sob acordo de risco com Cuba, trabalham empresas de Espanha, Noruega, Índia, Canadá, Vietnã, Malásia, Venezuela e Brasil.

Kamynin comentou que outras empresas russas participarão da construção de tanques de armazenamento de petróleo e derivados, assim como da modernização de gasodutos.

"Esperamos que Cuba também seja uma ponte para que a Rússia participe de outros (investimentos) em países do Caribe e da América Central. Moscou está disposta a colaborar com a expansão que a ilha faz com a Petróleos de Venezuela (PDVSA), por meio da Alba, na refinaria de Cienfuegos", acrescentou o diplomata.

"Essa é uma boa oportunidade para impulsionar nossas relações nos países que compõem a Alternativa Bolivariana para as Américas (Alba) e para outros da região", destacou.

Kamynin disse também que há planos de cooperação entre a empresa russa Norníquel e Cubaníquel para a criação de uma fábrica de ferro-níquel na província de Holguín (leste) e contatos entre os Ministérios da Informática e das Comunicações, e dos Transportes, assim como na indústria farmacêutica.

"Nos últimos tempos, as relações entre Cuba e Rússia tiveram uma nova dimensão, e estamos recuperando a presença multifacetada nesse mercado", disse o embaixador, ao mencionar que o comércio bilateral deve beirar os 400 milhões de dólares.

Ao falar de uma nova etapa de cooperação entre ambos os países, enfatizou que já estão determinados esquemas para a utilização de créditos, criação de empresas mistas e projetos bilaterais com empresas de terceiros países.

Ainda segundo o diplomata, a Rússia está interessada em criar um "nó de transporte" em Havana para distribuir entre os países da área com atrativos turísticos os passageiros que chegarem da Europa em vôos de Aeroflot.

Medvedev visitará Cuba na quinta-feira, uma escala de sua viagem pela América Latina, que inclui Peru, Brasil e Venezuela.

cb/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.