Tamanho do texto

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) marcou para o próximo dia 15, em Porto Velho, reunião pública para discutir com a sociedade de Rondônia a proposta do consórcio Energia Sustentável do Brasil (Enersus) que altera em nove quilômetros o local de construção da usina hidrelétrica de Jirau (3.350 megawatts).

Há cerca de um mês, o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, anunciou que, a pedido do governo de Rondônia e da prefeitura de Porto Velho, seria realizada uma reunião pública para debater a mudança no projeto.

Somente após essa audiência é que o Ibama deverá se pronunciar oficialmente sobre a proposta do consórcio vencedor do leilão, liderado pela franco-belga Suez, de mudar o projeto da usina. As alterações sugeridas pela Enersus foram fortemente contestadas pelo consórcio derrotado no leilão, liderado por Furnas e Odebrecht.

Para que a Enersus possa tirar do papel seu projeto e construir a usina em um local diferente, é necessário que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e o Ibama dêem aval às mudanças. Nenhum dos dois órgãos, porém, se pronunciou sobre o assunto até o momento.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.