Tamanho do texto

CHICAGO - A Procter & Gamble anunciou lucro líquido bem acima da expectativa dos analistas e disse que melhorou ligeiramente suas expectativas de crescimento para a indústria mesmo com os consumidores ainda cautelosos. Os produtos para bebês da P&G foram pressionados por meses, uma vez que os compradores buscaram marcas mais baratas que Pampers e Tide, e renegaram itens como a colônia Hugo Boss e o creme facial SK-II.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237577646739&_c_=MiGComponente_C

A maior fabricante mundial de produtos de consumo doméstico ganhou US$ 3,31 bilhões, ou US$ 1,06 dólar por ação, no primeiro trimestre fiscal, que se encerrou em 30 de setembro, comparado com lucro de US$ 3,35 bilhões, ou US$ 1,30 por ação, um ano antes.

Analistas, em média, esperavam que a companhia anunciasse lucro de US$ 0,99 dólar, de acordo com a Thomson Reuters I/B/E/S.

As vendas líquidas caíram 6 por cento, para US$ 19,8 bilhões, com declínio em todas as categorias, de beleza a salgadinhos e cuidados com animais.

As vendas orgânicas, que excluem o impacto da variação cambial, aquisições e desinvestimentos, subiram 2%.

A P&G havia previsto que tais vendas pudessem recuar 3%.

Leia também:

Leia mais sobre : Procter & Gamble



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.