Tamanho do texto

Paris, 12 out (EFE).- Um relatório interno do Irã, revelado hoje pelo jornal francês "Les Echos", adverte às autoridades do regime de Teerã sobre o risco de afundamento da economia por causa das sanções internacionais.

Paris, 12 out (EFE).- Um relatório interno do Irã, revelado hoje pelo jornal francês "Les Echos", adverte às autoridades do regime de Teerã sobre o risco de afundamento da economia por causa das sanções internacionais. Esse relatório confidencial redigido por economistas do Banco Central do Irã e do Ministério da Economia e entregue no final de setembro ao líder supremo do país, o aiatolá Ali Khamenei, destaca as ameaças "substanciais de um afundamento econômico em menos de um ano", indicou "Les Echos". Os autores do documento cifram o impacto potencial das sanções contra o regime de Teerã em várias dezenas de bilhões de dólares anuais e recomenda que sejam tomadas "medidas drásticas para evitar uma grave crise". Segundo o documento, seria necessário "reconverter de forma urgente o comércio exterior" para que se substituam os provedores tradicionais nos países ocidentais por outros na China, Rússia e Índia, "aumentar as reservas de alimentos e combustíveis" e transformar as reservas em moeda estrangeira, atualmente em dólares e euros basicamente, em, por exemplo, iuanes chineses. Os economistas que aconselham Khamenei constatam os problemas derivados da retirada das principais empresas ocidentais que trabalhavam no setor petroleiro, principal fonte de renda do Estado. A falta de manutenção e de peças de substituição após a suspensão das atividades da francesa Total, da britânico-holandesa Shell, da norueguesa Statoil e da italiana ENI são alguns dos motivos da queda da produção de petróleo iraniano - dos 4,2 milhões de barris diários em 2009 para 3,5 milhões no meio deste ano. É cada vez mais problemático o abastecimento de gasolina no Irã, cujas carências de investimentos em refinarias obrigam o regime a importar boa parte de seus combustíveis, algo que se torna cada vez mais complicado como consequência das medidas decretadas pelo Conselho de Segurança da ONU. Os quatro pacotes de sanções do Conselho de Segurança da ONU contra o Irã foram aprovados nos últimos anos para punir o programa nuclear do país, suspeito de ter fins militares, o que é negado por Teerã. EFE ac/sa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.