Tamanho do texto

Moradores de Wenzhou, na província de Zhejiang, poderão aplicar em ativos externos

Autoridades chinesas estão finalizando planos para uma reforma financeira experimental que permitirá que indivíduos em uma cidade chinesa invistam em ativos financeiros no exterior, informou a imprensa local nesta terça-feira, marcando um importante passo para a liberalização da conta de capitais da China.

O projeto-piloto de "zona de reforma financeira geral" vai permitir que os moradores de Wenzhou, na província de Zhejiang, invistam diretamente em ativos estrangeiros, reportou o 21º Century Business Herald, citando um regulador provincial financeiro envolvido no desenvolvimento do plano.

No entanto, uma medida separada incluída em um rascunho do plano, que teria permitido ações em relação à liberalização da taxa de juros pelos bancos de Wenzhou, foi rejeitada, segundo o jornal.

A rejeição da reforma da taxa indica que formuladores de políticas econômicas continuam relutantes em avançar com reformas financeiras mais abrangentes que poderiam ameaçar a rentabilidade do sistema bancário estatal e elevar o custo de capital para financiadores estatais.

O fornecimento de investimento estrangeiro iria criar um novo canal para investidores chineses ganharem exposição a ativos financeiros no exterior, fora do atual programa Investidor Doméstico Qualificado Institucional (QDII).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.