Tamanho do texto

SÃO PAULO - O presidente do Banco da Inglaterra, Mervyn King, reconheceu que o Reino Unido provavelmente entre em recessão devido à atual crise financeira.

Acordo Ortográfico

 Ele assegurou que o colapso do banco de investimentos americano Lehman Brothers no dia 15 do mês passado deu início a uma seqüência "extraordinária" e "quase inimaginável" de acontecimentos que culminou com o anúncio de vários planos para recapitalizar bancos de grande parte de países.

Ata divulgada nesta quarta-feira da última reunião do Banco da Inglaterra mostrou que os integrantes do comitê de política monetária da instituição colocou de lado as preocupações com as pressões inflacionárias e apoiaram por unanimidade o corte de 0,5 ponto percentual no custo do dinheiro. Assim, em 8 de outubro, ficou definida uma taxa de juro de 4,5%.

Naquela ocasião, o BC britânico se uniu ao Federal Reserve, ao Banco Central Europeu (BCE) e a outras autoridades monetárias na iniciativa de reduzir a taxa de juro visando a ajudar no descongelamento do crédito.

Mais notícias

Para saber mais

Serviço 

Opinião

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.