Tamanho do texto

Março foi o melhor mês da história para a indústria automobilística em vendas (353,7 mil unidades) e produção (331 mil), amparadas pelo fim do corte do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Sem o incentivo, os preços dos carros novos vão aumentar entre 3,6% e 4,3%.

Março foi o melhor mês da história para a indústria automobilística em vendas (353,7 mil unidades) e produção (331 mil), amparadas pelo fim do corte do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Sem o incentivo, os preços dos carros novos vão aumentar entre 3,6% e 4,3%. Além disso, as montadoras vão repassar aos consumidores o reajuste do preço do aço que está sendo negociado com as siderúrgicas que, por sua vez, vão arcar com o aumento de quase 100% no preço do minério de ferro. "Com certeza o aumento do preço do minério e do aço terá um impacto no custo dos automóveis, mas isso ocorrerá na medida em que o reajuste começar a ser repassado na cadeia produtiva", disse ontem o presidente da Anfavea, Jackson Schneider.
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.