Tamanho do texto

Havana, 1 set (EFE) - O vice-presidente cubano, Carlos Lage, afirmou hoje que a devastação causada pelo furacão Gustav na rede elétrica da província de Pinar del Río, no oeste da ilha, obrigará à construção de uma nova estrutura de energia nessa região. Ele explicou que a situação na qual ficou a rede elétrica na parte leste da província é muito grave e sua solução muito urgente, em declarações divulgadas pela televisão cubana. Não se trata de consertar ou de erguer algumas torres. Trata-se de construir uma rede elétrica nova, porque a rede elétrica está no solo, disse Lage após visitar áreas arrasadas no sábado pelo Gustav.

O furacão, que passou pela ilha com categoria 4, deixou no oeste de Cuba "dezenas de milhares" de imóveis "afetados", em torno de 3.500 armazéns para secar tabaco destruídos e dezenas de torres de alta tensão devastadas.

Segundo as autoridades, o furacão não deixou mortos em Cuba e só há 19 feridos, todos fora de perigo, em contraste com as 76 pessoas que morreram em decorrência da passagem de "Gustav" no Haiti, 12 na Jamaica e 8 na República Dominicana ao longo da semana passada.

Lage disse que "os danos mais graves e de mais graves conseqüências estão no setor imobiliário", especialmente em Consolación del Sur, Los Palacios e outros seis povoados de Pinar del Río.

Em Los Palácios, "mais da metade (das casas) estão totalmente derrubadas", afirmou Lage.

Segundo a imprensa oficial, "100% do circuito elétrico foi danificado" na Isla de la Juventud, situada em frente à costa sudoeste de Cuba, onde foram registrados também grandes danos nas infra-estruturas portuárias e nas comunicações.

O ex-presidente Fidel Castro diz em artigo divulgado hoje que a tarefa que a ilha tem agora pela frente "exige tempo e experiência".

As autoridades cubanas ainda avaliam os danos deixados por "Gustav", que hoje chegou à costa da Louisiana (Estados Unidos), em um ponto situado a 110 quilômetros de Nova Orleans, com ventos de 175 km/h e categoria 2 na escala de intensidade Saffir-Simpson, que vai até 5. EFE jlp/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.