Tamanho do texto

Governo russo cortou previsão de crescimento do PIB para 3,7%, se dado se confirmar, país terá pior desempenho desde a crise

selo

Crescimento do PIB russo preocupa Vladimir Putin
Getty Images
Crescimento do PIB russo preocupa Vladimir Putin

Vladimir Putin vai enfrentar uma economia em desaceleração quando retornar à presidência da Rússia, no mês que vem, apesar da forte alta nos preços do petróleo, principal produto de exportações do país. Nesta sexta-feira o Ministério de Economia russo cortou sua previsão para o crescimento do produto interno Bruto (PIB) em 2012 para entre 3,4% e 3,7%, o que significa que a economia do país este ano deve ter o pior desempenho desde a crise financeira global, em 2008 e 2009. A ministra da Economia, Elvira Nabiullina, afirmou que a revisão na projeção para o PIB se deve principalmente a uma queda nos investimentos da capital, que Putin prometeu acelerar.

"Isso foi um alerta do Ministério da Economia, que sabe melhor do que qualquer um que são necessárias sérias mudanças para destravar o potencial de crescimento da Rússia", comentou Roland Nash, economista-chefe da Verno Capital. "Se as coisas não mudarem, o aumento nos preços do petróleo não será de muita ajuda".

Com a expectativa de que a produção de petróleo da Rússia fique praticamente estável por pelo menos uma década, o país está lutando para encontrar outras fontes de crescimento para sua economia. Segundo os números desta sexta-feira, os gastos dos consumidores devem continuar crescendo cerca de 6% ao ano, embora boa parte dessa demanda seja atendida por importações - não pela produção doméstica.

O crescimento dos investimentos tem desacelerado na Rússia, em parte em função do clima empresarial não amigável no país, com uma população envelhecida e uma força de trabalho pouco produtiva, segundo relatório do Banco Mundial divulgado na semana passada. Embora a economia russa tenha se recuperado para os níveis pré-crise no início deste ano, essa retomada levou mais de três anos. Em uma crise anterior, em 1998, o país precisou de dois anos, apontou o Banco Mundial.

Os esforços para aumentar a transparência no setor corporativo e combater a corrupção na administração do presidente Dmitry Medvedev tiveram poucos avanços. A Rússia registrou no ano passado uma saída de capital de US$ 80,5 bilhões, e dados do começo deste ano mostram que o ritmo não está diminuindo, apesar da redução no risco político, após as eleições do mês passado.

Apesar de Putin geralmente afirmar que o desempenho do seu país é forte, quando comparado com seus vizinhos europeus, a economia russa não se sai tão bem frente a outros países emergentes. O Produto Interno Bruto (PIB) russo cresceu 4,3% em 2011, ante uma expansão de 9,5% da economia chinesa e de 7,8% na Índia.

Putin também prometeu transformar o PIB russo, de US$ 1,9 trilhão, no quinto maior do mundo, ante a 11ª posição que ocupa agora. Para isso, ele disse que vai impulsionar os investimentos, elevando os aportes para o equivalente a 25% do PIB até 2015, ante o nível atual de 20%. Segundo dados divulgados, porém, os investimentos no país devem crescer 6,6% em 2012, abaixo da taxa de 8% necessária para Putin atingir seu objetivo. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.