Tamanho do texto

Depois do protesto contra a Emenda Ibsen nas ruas do Rio de Janeiro, na última quarta-feira, os cariocas invadiram o Twitter, a rede social de microblogs, e conseguiram pôr o assunto no topo do ranking de temas mais comentados no Brasil. Ontem, o nome do deputado Ibsen Pinheiro ficou durante todo o dia entre os mais citados da rede.

A emenda prevê divisão igualitária dos royalties do pré-sal entre os Estados e municípios, sem privilegiar os produtores, como o Rio. Os blogueiros contrários ao texto divulgaram o número do telefone do gabinete do deputado em Brasília e o e-mail do parlamentar seguidos da pergunta: "Querem mandar um recado para ele?" No fim da tarde, a manifestação ganhou o reforço da celebridade mais seguida no Twitter brasileiro, o apresentador Luciano Huck, que também enviou o telefone e o e-mail do deputado para quase 2 milhões de pessoas que acompanham seus comentários diariamente.

Além da divulgação dos contatos do parlamentar, a mensagem que mais fez sucesso entre os blogueiros contrários à distribuição dos royalties do petróleo foi uma fotomontagem de Ibsen, em que ele aparece discursando. Sobre a imagem, os blogueiros colocaram trechos de um falso discurso: "As minhas principais propostas para divisão dos royalties são atrapalhar os Estados que têm seus projetos e perspectivas de crescimento em cima desse dinheiro; (...) fazer com que algum Estado declare logo falência". Os internautas divulgaram a mensagem e a foto por meio de um instrumento criado pelo próprio Twitter para retransmitir comentários. A ferramenta chama-se "retwitt" e é identificada pela sigla RT. Por isso, junto com a fotomontagem os blogueiros faziam o pedido: "Se você é do Rio, RT!"
Poucos se arriscavam a defender o deputado ou a emenda. Um dos usuários chegou a escrever: "Sei que vou ser xingado... mas parabéns Ibsen". Outro ironizou a passeata organizada pelo governo do Rio de Janeiro e prefeituras na quarta-feira: "Royalties Folia 2010, eu fui!"
Ao som de funk. O protesto, que contou com cerca de 150 mil manifestantes, foi criticado por ter demonstrado pouco engajamento político, com mais música do que discursos. Embalada principalmente por funk, a passeata contou com a presença de políticos e de celebridades.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ) também recorreu ao Twitter para criticar a emenda. A entidade usou o microblog para divulgar um abaixo-assinado virtual, que no fim do dia contava com 18 mil adesões.

Embora exista um microblog assinado por Ibsen Pinheiro, e com declarações compatíveis aos seus argumentos, o parlamentar não está na rede social. É um Twitter falso. Ontem, ele estava no Rio Grande do Sul e ficou sabendo da repercussão por assessores. "Ligaram no celular dele para dizer que até o cantor Leo Jaime estava revoltado", disse um colega.

A relevância do microblog na discussão dos royalties ganhou dimensão quando o governador de São Paulo, José Serra, resolveu falar pela primeira vez sobre o assunto com os blogueiros, na quarta-feira. Serra costuma escrever na rede social durante a madrugada. Pressionado pelo deputado Paulo Roberto (PMN-ES) a emitir uma opinião, ele escreveu: "É correta a preocupação de beneficiar todo o País com o petróleo, mas não se pode arruinar o Rio de Janeiro e o Espírito Santo". A mensagem foi publicada por volta das 3 horas e só no dia seguinte Serra falou oficialmente sobre o tema.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.