Tamanho do texto

A comunidade e as autoridades portuárias têm consensualmente Barnabé-Bagres como a única alternativa de crescimento para o Porto de Santos. A decisão dos membros do Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema) surpreendeu Sérgio Aquino, presidente do Conselho de Autoridade Portuária (CAP) de Santos - órgão que reúne os segmentos do setor.

Secretário de Assuntos Portuários de Santos, ele disse que está "preocupado e apreensivo".

"Nós cumprimos todos os ritos da legislação. Um grupo criado pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente discutiu entre 10 e 11 anos esse zoneamento. Isso foi exaustivamente debatido, houve decisão por votação e é uma surpresa retornar essa discussão", disse Aquino, declarando que em sete anos o Porto deverá atingir sua capacidade máxima - 110 milhões de toneladas.

Aquino afirmou que não tem receio de enfrentar o debate novamente. "Tem de analisar os ganhos totais, a diminuição da poluição atmosférica com equipamentos mais modernos, não pode ficar só pensando se vai aterrar mangue ou não. Há todo um balanço ambiental que já analisamos. Tem de se fazer uma análise racional, e não emocional, do tema."
A superintendente de Meio Ambiente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Alexandra Grota, afirmou que a classificação das zonas ambientais apontam áreas possíveis para investimento. "Tem de planejar. A gente só está indicando para onde quer crescer. Agora, a forma como vai ser, se vai ter de se adequar à vegetação, isso serão os projetos, dentro da legislação, que vão mostrar."
Sobre a definição da área, Alexandra disse que não será aprovado nenhum projeto. "O fato não quer dizer que qualquer projeto que tiver lá não passará por licenciamento ambiental. Nós não temos escolha (sobre o local definido). A ideia é crescer ao lado e não em uma zona que não tenha impacto nenhum. Que outro local seria adequado no Estado para uma expansão desse porte? Em outras localidades, afetaria áreas mais preservadas ainda", argumentou Alexandra.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.