Tamanho do texto

Software permitirá que investidores fora do País negociem ações

selo

A plataforma que vai permitir a negociação de ações listadas no Brasil por estrangeiros deve ser finalizada no primeiro trimestre de 2011. "O projeto deve estar pronto em janeiro, ficará um mês em testes e, no primeiro mês do segundo trimestre, deve começar a operar", disse hoje o diretor presidente da BM&FBovespa, Edemir Pinto, em teleconferência para comentar os resultados trimestrais da Bolsa. O software está sendo desenhado pela BM&FBovespa e pela Chi-X Global.

Para um estrangeiro fazer negócios com ações no Brasil ocorrem três operações: a compra da ação, o câmbio da operação e a custódia do papel. Por isso, os bancos precisam estar envolvidos. A Bolsa já fechou acordo com quatro bancos - Bradesco, Itaú, HSBC e Citibank - e negocia com o Santander, entre outras instituições financeiras globais. O potencial para atrair novos investidores para o Brasil é enorme, destacou Edemir. São 90 milhões de americanos que compram ações no mercado dos Estados Unidos. Na China, são 60 milhões.

Na primeira fase, a plataforma vai mostrar as cotações apenas em dólar. Mas nos meses seguintes ela trará valores em várias moedas relevantes, como o euro, o iene e o peso. Assim, um investidor que estiver no Japão terá a tela disponibilizada via plataforma de negociação e vai poder comprar ou vender qualquer papel da Bolsa brasileira em iene. Quem estiver na Europa poderá operar em euro. "Não tenho conhecimento de nenhuma bolsa no mundo que tenha projeto desse tipo", disse o executivo.

Ações dos EUA

Já as negociações de ações americanas na bolsa brasileira, os chamados BDRs (Brazilian Depositary Receipt) não patrocinados, previstas para agosto, devem começar em setembro. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ainda não aprovou esse tipo de operação e exigiu mais detalhes do projeto.

O Deutsche Bank será o primeiro banco a trabalhar com o BDR não patrocinado. Vai listar ações de dez empresas: Apple, Google, BofA, Arcelor Mittal, Goldman Sachs, Avon, Walmart, Exxon Mobil, McDonald's e Pfizer. O Citibank foi escolhido para listar os BDRs de outras dez empresas, ainda não foram divulgadas.

Campanha

No dia 17 de agosto, a BM&FBovespa anuncia, às 9 horas, sua nova campanha publicitária, que terá como garoto propaganda o ex-jogador Pelé. Os anúncios foram feitos pela agência DPZ. "É uma campanha educativa, que vai durar no mínimo dois anos", disse o diretor presidente da BM&FBovespa, Edemir Pinto.

A campanha será realizada na televisão, na mídia impressa e na internet. A Bolsa, que fechou o segundo trimestre com cerca de 550 mil pessoas físicas cadastradas, ultrapassou a marca de 600 mil investidores graças a oferta de ações do Banco do Brasil (BB), fechada no início do mês passado. A oferta levou novos pequenos investidores a aplicar em ações.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.