Tamanho do texto

Washington - A produtividade dos trabalhadores nos Estados Unidos aumentou a uma taxa anualizada de 8,1% no terceiro trimestre deste ano, um período durante o qual o custo da mão-de-obra continuou diminuindo, informou nesta quinta-feira o Departamento do Trabalho americano.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237575299010&_c_=MiGComponente_C

O Governo tinha calculado preliminarmente que a produtividade entre julho e setembro tinha subido a uma taxa anualizada de 9,5%, enquanto os analistas esperavam uma correção para 8,6%.

As revisões trazem informação mais precisa sobre o Produto Interno Bruto (PIB) e a renda. Em geral, as revisões dão como resultado uma produtividade menor e salários mais altos que os informados no cálculo preliminar.

O custo da unidade laboral, que é um dado significativo, porque mostra a pressão que os salários agregam à inflação, caiu 2,5% entre julho e setembro.

No setor fabril, a produtividade aumentou a uma taxa sem precedentes de 13,4%, e o custo da mão-de-obra desceu a uma taxa anualizada de 6,1%.

Na economia não vinculada ao setor financeiro, a produtividade cresceu no trimestre a uma taxa de 5,3%, e o custo da mão-de-obra caiu 0,1%, enquanto o lucro subiu 7,8%.

No terceiro trimestre deste ano, a produção real da economia avançou a uma taxa anualizada de 2,9%, enquanto as horas trabalhadas diminuíram para 4,8%.

A compensação horária real cresceu a uma taxa anualizada de 1,8%, segundo o relatório do Departamento do Trabalho.

Em um ano, a produtividade subiu 4%, o que representa o melhor crescimento em cinco anos.

O custo da mão-de-obra caiu 1,4% em um ano, a maior diminuição em sete anos.

Leia mais sobre EUA

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas