Tamanho do texto

Rio de Janeiro, 4 mai (EFE).- A produção da indústria cresceu 18,1% no primeiro trimestre do ano em comparação com o mesmo período de 2009, alcançando sua maior expansão para o período desde que o índice começou a ser medido em 1991, informou hoje o Governo.

Rio de Janeiro, 4 mai (EFE).- A produção da indústria cresceu 18,1% no primeiro trimestre do ano em comparação com o mesmo período de 2009, alcançando sua maior expansão para o período desde que o índice começou a ser medido em 1991, informou hoje o Governo. A produção do primeiro trimestre foi igualmente superior, em 3%, à do último trimestre de 2009, segundo os dados divulgados pelo IBGE. A forte expansão da produção nas fábricas no começo do ano permitiu que a atividade retornasse praticamente ao nível em que se encontrava em setembro de 2008, antes do agravamento da crise econômica global. De acordo com o organismo, a produção de março deste ano é apenas 0,1% inferior à de setembro de 2008 e 0,3% menor à de julho desse ano, quando o setor alcançou seu melhor desempenho histórico. O resultado confirma a recuperação da indústria, o setor mais afetado pela crise e que, para adequar-se à menor demanda externa e à escassez de crédito, teve que reduzir significativamente sua produção, eliminar turnos de trabalho e despedir milhares de empregados. Essa recuperação se consolidou em março, segundo o IBGE, quando a produção aumentou em 19,7% em comparação com o mesmo mês do ano passado e em 2,8% frente à de fevereiro deste ano. A expansão de 19,7% entre março do ano passado e o mesmo mês deste ano foi a maior para este tipo de comparação desde abril de 1991. "O início de 2010 confirma o movimento de recuperação da indústria e o aumento do ritmo de atividade", segundo o economista André Macedo, responsável pelos estudos industriais do Instituto. "Há um perfil generalizado de crescimento, com uma produção muito próxima ao nível recorde de 2008", acrescentou o economista, que esclareceu que a recuperação é liderada pelos setores mais dependentes do mercado doméstico e não tanto do externo. Em março as fábricas aumentaram a produção de 76,7% dos produtos industriais analisados na comparação com o mesmo mês do ano passado. Da mesma forma, 25 dos 27 setores analisados registraram expansão de sua atividade nos últimos doze meses até março. A produção do segmento de bens de capital liderou a recuperação em março, com um aumento de 38,4% frente ao mesmo mês do ano passado. "O resultado de bens de capital mostra um reinício dos investimentos e que a política do Governo de isenções fiscais teve resultados bem-sucedidos", segundo Macedo. EFE cm/pb

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.