Tamanho do texto

Após dois meses de deflação, IPCA-15 calculado pelo IBGE apresentou aceleração refletindo a elevação nos preços dos alimentos

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) – a prévia da inflação oficial – teve variação de 0,31% em setembro, e ficou acima do resultado de agosto (-0,05%), segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com isso, o IPCA-E (IPCA-15 acumulado nos meses de julho, agosto e setembro) foi de 0,17%, abaixo do resultado do mesmo período de 2009 (0,64%).

O IPCA-15 acumulado no ano está em 3,53%, acima do índice de igual período do ano anterior (3,15%). O acumulado nos últimos doze meses (4,57%) também superou o dos doze meses imediatamente anteriores (4,44%). Em setembro de 2009, o IPCA 15 havia sido de 0,19%.

Após dois meses com taxas próximas de zero (-0,09% em julho e -0,05% em agosto), o IPCA-15 voltou a subir e atingiu 0,31% em setembro. A maioria dos grupos de produtos e serviços pesquisados apresentou crescimento de agosto para setembro.

Evolução do IPCA-15

Desempenho mensal em 2010

Gerando gráfico...
Fonte: IBGE

Os alimentos foram os principais responsáveis pela alta, passando de (-0,68%) em agosto para 0,30% em setembro, com contribuição de 0,07 ponto percentual, enquanto a de agosto havia sido de -0,15 ponto.

O item carnes, cujos preços ficaram 3,40% mais caros, liderou as contribuições individuais no mês, com 0,07 ponto. Mas outros alimentos também apresentaram taxas maiores de agosto para setembro: óleo de soja (de -0,01% para 5,08%), açúcar cristal (de -8,10% para 4,83%), frutas (de 0,82% para 3,17%), farinha de trigo (de 0,70% para 2,51% ) e pão francês (de 0,04% para 2,11%).

Já os produtos não alimentícios subiram 0,31% em setembro, acima dos 0,14% de agosto.

Transportes (de 0,02% para 0,33%) foi a segunda maior contribuição de grupo, com 0,06 ponto no mês. O litro da gasolina passou a custar 0,77% a mais já tendo subido 0,31% no mês de agosto, enquanto o etanol, embora 2,08% mais caro, mostrou taxa de crescimento inferior aos 4,99% do mês anterior. Além disso, os preços das passagens aéreas (-10,31% em agosto) subiram 7,56% em setembro.

Refletindo a coleção da nova estação, os artigos de vestuário também subiram (0,50%), ao passo que em agosto haviam apresentado queda (-0,09%).

Dentre os índices regionais, o maior foi o de Goiânia (0,48%) onde a gasolina variou 3,47% e os alimentos subiram 0,83%. O menor foi o de Recife (-0,29%) em virtude, principalmente, da queda (-0,87%) nos preços dos alimentos.

Para o cálculo do IPCA-15, os preços foram coletados no período de 14 de agosto a 13 de setembro e comparados com os vigentes entre 14 de julho e 13 de agosto. O indicador refere-se às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.