Tamanho do texto

Segundo a Ri Happy, líder  no setor de varejo de brinquedos nacional, a operação não resultará na demissão de funcionários, a intenção é "somar forças e unir experiências"

Com cerca de 110 lojas em 18 estados, A Ri Happy faturou R$ 600 milhões em 2010
Divulgação
Com cerca de 110 lojas em 18 estados, A Ri Happy faturou R$ 600 milhões em 2010

A varejista de brinquedos Ri Happy anunciou nesta segunda-feira a compra da PBKIDS. A Ri Happy tem como principal acionista The Carlyle Group, gestor global de investimentos, que no Brasil controla também a CVC, operadora de turismo, a Qualicorp, corretora e administradora de planos de saúde, e a Scalina, fabricante e varejista de moda íntima. O Carlyle havia comprado 85% da Ri Happy em março deste ano, por valor não informado.

Segundo comunicado da empresa, “Ri Happy e PBKIDS buscam aprimorar o acesso à inovação e tornar ainda mais ágil os canais de distribuição dentro das melhores práticas de mercado”. A Ri Happy também diz que a operação não resultará na demissão de funcionários: “A intenção é justamente somar forças e experiências”, diz o texto.

A empresa será comandada por Hector Núñez, CEO da Ri Happy, que esteve à frente do Walmart no Brasil e que já ocupou cargos de liderança na Coca-Cola, Sucos Del Valle e Hertz, no Brasil e no exterior. “Vamos somar esforços, valendo-se da expertise das duas redes, visando oferecer uma ampla gama de produtos de qualidade e excelência no atendimento aos clientes, proporcionando, assim, uma experiência em compra de brinquedos e artigos infantis inigualável”, afirma Núñez.

Leia também: Carlyle compra 85% da Ri Happy, líder em brinquedos

A Ri Happy possui cerca de 110 lojas em 18 estados e faturou R$ 600 milhões em 2010, já a PBKids faturou R$ 230 milhões no mesmo ano. Além da Ri Happy, a PBKids e a Preçolândia estão entre as maiores vendedoras de brinquedos no Brasil, ao lado da Lojas Americanas e das redes de hipermercado como Extra e Carrefour. O setor de varejo de brinquedos nacional movimenta R$ 5 bilhões ao ano e cresce três vezes acima do Produto Interno Bruto (PIB).

*Com Valor Econômico

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.