Tamanho do texto

SÃO PAULO - Os preços futuros do petróleo voltaram a cair nesta jornada em Nova York, pressionados mais uma vez por indicadores dando conta do aprofundamento da recessão nos EUA. Já no mercado londrino houve ligeiro aumento de preços.

Representantes da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) voltaram a manifestar disposição para novos cortes de produção frente ao recuo consistente da cotação da commodity.

O contrato de WTI negociado para março em Nova York caiu US$ 0,72, para US$ 41,44. O vencimento para o mês seguinte fechou a US$ 46,04, com recuo e US$ 0,03. Em Londres, o barril de Brent para março aumentou US$ 0,50, para US$ 45,40. O contrato para abril subiu US$ 0,22, para US$ 47,36.

O secretário geral do cartel, Abdalla el-Badri disse durante o Fórum Mundial em Davos, que a Opep não hesitará em fazer nova redução de cotas de produção se os preços continuarem caindo. Para o grupo, preços abaixo de US$ 50 não justificam a produção ou mesmo investimentos em expansão.

Ao mesmo tempo, os agentes, que já tinham reagido mal ao aumento nos estoques americanos de óleo cru ontem, hoje receberam novos dados ruins. Além da baixa de 2,6% nos pedidos de bens duráveis nos EUA no mês de dezembro, houve novo recorde no nível de solicitação de pedidos de seguro-desemprego no país.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.