Tamanho do texto

São Paulo, 3 - O Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pelo produtor rural paulista (IqPR) encerrou o mês de novembro com variação positiva de 1,48%. O cálculo é do Instituto de Economia Agrícola (IEA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo.

No mês passado, o IqPR-V (produtos de origem vegetal) registrou alta de 3,20%, enquanto o IqPR-A (produtos de origem animal) terminou com variação negativa de 2,78%.

Os produtos que registraram maiores altas em novembro, em comparação com o mês anterior, foram: batata (29,73%), feijão (8,06%), laranja para indústria (7,94%), café (5,20%), algodão (4,21%) e cana (3,35%). Conforme os pesquisadores do IEA, a alta no preço da batata é resultado do clima adverso, que provocou perdas na produção, atrasos na colheita e consequente menor oferta do produto no mercado.

Os produtos que apresentaram as maiores quedas de preços em novembro foram: tomate para mesa (22,61%), leite tipo B (5,50%), carne suína (4,93%), ovos (4,40%), leites tipo C (3,65%) e carne bovina (3,33%). De acordo com o IEA, a recuperação da produção de tomate proporcionou o retorno dos preços a níveis mais compatíveis com seu padrão tradicional de variação.

Em novembro, 8 produtos apresentaram alta de preços (7 de origem vegetal e 1 de animal) e 12 apresentaram queda (7 de origem vegetal e 5 de origem animal).

Na comparação dos preços com novembro do ano anterior, 10 produtos tiveram variações positivas, e as maiores altas ficaram por conta da batata (202,86%), tomate para mesa (32,98%) e cana-de-açúcar (20,67%).

Para os produtos que registraram variação negativa no período verifica-se que 7 dos 9 produtos pertencem diretamente ao item alimentação: feijão (32,85%), laranja para mesa (30,78%), ovos (20,78%), arroz (20,27%) e as carnes bovina, de frango e suína (13,91%, 12,82% e 11,85%, respectivamente).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas