Tamanho do texto

SÃO PAULO - O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu hoje, por oito votos a cinco, pela revogação da prisão do ex-governador José Roberto Arruda (sem partido). A maioria dos ministros entendeu que Arruda não representava mais perigo e nem poderia influir nas investigações. Desta forma, não haveria mais necessidade de mantê-lo preso.

SÃO PAULO - O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu hoje, por oito votos a cinco, pela revogação da prisão do ex-governador José Roberto Arruda (sem partido). A maioria dos ministros entendeu que Arruda não representava mais perigo e nem poderia influir nas investigações. Desta forma, não haveria mais necessidade de mantê-lo preso. O ex-governador e os outros quatro denunciados estavam presos desde o dia 11 de fevereiro na Superintendência da Polícia Federal por tentativa de suborno a uma testemunha da Operação Caixa de Pandora, que apura o pagamento de propina para parlamentares do Distrito Federal. Além de Arruda, serão soltos Geraldo Naves, Wellington Luiz Moraes, Antônio Bento da Silva, Rodrigo Diniz Arantes e Haroldo Brasil de Cavalho. "Não mais subsiste a necessidade de prisão. Não há mais como o preso influir na instrução criminal, mesmo porque ele não sustenta mais a condição de governador de Estado. Neste sentido, entendo que a prisão preventiva deve ser revogada", afirmou o presidente do Inquérito, ministro Fernando Gonçalves. (Fernando Taquari | Valor)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.