Tamanho do texto

China agora pretende ser a engenheira civil do mundo; nova estrutura deverá abrir ao tráfego em 2013

Bay Bridge
Getty Images
Bay Bridge
Em um imenso complexo industrial de Xangai, centenas de trabalhadores chineses estão agora concluindo a construção de uma ponte que ligará a baía de São Francisco e Oakland.

No próximo mês, os quatro últimos de mais de duas dezenas de módulos do aço gigantes – cada segmento com mais da metade do tamanho de um campo de futebol – serão colocados em um enorme navio e transportados mais de 10 mil quilômetros até Oakland.

Lá, eles serão montados para formar a nova Ponte Bay.

O trabalho de montagem na Califórnia e a colocação do pavimento de concreto, serão feitos por americanos. Mas a construção das plataformas da ponte e os materiais usados são Made in China.

Oficiais da Califórnia dizem que o Estado economizou centenas de milhões de dólares ao usar a mão de obra chinesa.

A nova estrutura, que deverá abrir ao tráfego em 2013, vai substituir uma ponte que nunca foi a mesma desde o terremoto de 1989.

A China, em sua escalada contínua na cadeia de valor da economia mundial , agora pretende ser a engenheira civil do mundo.

Apenas em Nova York, as empresas chinesas conquistaram contratos para ajudar a renovar o sistema de metrô, reformar o a Ponte Alexander Hamilton sobre o rio Harlem e construir uma nova plataforma de trem perto do Estádio Yankee. Tal como acontece com a Ponte Bay, sindicatos americanos realizam a maior parte do trabalho nos Estados Unidos.

Sindicatos metalúrgicos americanos criticaram o contrato da Ponte Bay, acusando o Estado da Califórnia de mandar bons empregos ao exterior e se contentar com o que eles disseram ser a baixa qualidade do aço chinês.

Grupos da indústria nos Estados Unidos e em outros países têm questionado a segurança e a qualidade do trabalho chinês em tais projetos.

Mas os executivos e oficiais que celebraram os contratos com várias empresas chinesas dizem que suas auditorias os convenceram da integridade dos projetos de engenharia.

Eles dizem ainda que, com toda a força financeira do governo chinês por trás de suas empresas de infraestrutura, a escala monumental do trabalho e a proposta de preços, é difícil que a indústria privada de qualquer outro país tenha chance de concorrer com a China.

Uma joint venture entre duas empresas americanas, a American Bridge e a Fluor Enterprises, ganhou o contrato principal para o projeto no início de 2006. Sua proposta especificou a compra do aço fabricado no exterior para economizar dinheiro.

Para garantir que a ponte atenda aos padrões de segurança, 250 oficiais e consultores que trabalham para o Estado da Califórnia e a American Bridge / Fluor também passaram a residir em Xangai.

* Por David Barboza

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.