Tamanho do texto

CANCÚN - A pirataria e a falsificação de produtos movimentam mais de 750 bilhões de dólares por ano no mundo e 80% dos consumidores admitem comprar produtos piratas, segundo um estudo divulgado em um congresso dedicado ao tema encerrado na quinta-feira em Cancún, México.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237575322378&_c_=MiGComponente_C

O estudo, realizado durante o primeiro semestre de 2009 entre 5.000 consumidores do México, Rússia, Reino Unido, Coreia e Índia, mostra como os compradores justificam a compra de produtos piratas: não podem adquirir o original (71%), não sabem que é falso" (58%) ou consideram os produtos originais muito caros (57%).

A pesquisa foi realizada por iniciativa da Ação Empresarial para Deter a Falsificação e a Pirataria (BASCAP, na sigla em inglês), da Câmara de Comércio Internacional.

"Os DVDs e CDs, roupas e programas de computador são os artigos mais comprados, mas também registramos remédios, autopeças, bebidas alcoólicas e comida", afirma o estudo.

Jeffrey Hardy, coordenador da BASCAP, destacou que a pirataria também afeta a capacidade dos países para gerar empregos. "Por cada trabalhador que realiza um produto pirata, outro trabalhador fica sem emprego em alguma atividade legal", declarou.

Hardy anunciou ainda o lançamento de uma iniciativa na América Latina para promover a luta contra a pirataria.

Leia mais sobre pirataria

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.