Tamanho do texto

Os contratos futuros de petróleo voltaram a subir acima dos US$ 70,00 o barril, acompanhando a alta das ações em Nova York por volta do encerramento do mercado de petróleo. Porém, os temores sobre a queda da demanda por petróleo continuam no topo da lista de preocupações, já que as economias ao redor do mundo estão sentindo os efeitos do aperto no mercado de crédito.

Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), os contratos futuros do óleo com entrega do produto em novembro subiram US$ 2,00, ou 2,86%, e fecharam em US$ 71,85 o barril, no pregão viva voz. Incluindo as transações da plataforma eletrônica Nymex/Globex, a mínima foi de US$ 69,84 e a máxima, de US$ 74,27 o barril. No pregão eletrônico da ICE Futures, em Londres, os contratos para dezembro do petróleo tipo Brent registraram alta de US$ 1,76, ou 2,59%, para US$ 69,60 o barril.

"Se as ações estão em alta, nós seguimos", disse Tony Rosado, corretor da GA Global Markets, acrescentando que boa parte das compras de hoje pode ser atribuída aos investidores que foram atraídos para o mercado depois que o petróleo caiu abaixo dos US$ 70 o barril.

Os participantes do mercado, em geral, não vêem o fechamento de ontem, a US$ 69,85 o barril, como o "fundo do poço". Eles acreditam que a demanda provavelmente vai cair ainda mais e ainda não há um consenso sobre quando haverá recuperação do consumo.

Os operadores, em contrapartida, relutam em deixar que os preços do petróleo caiam muito abaixo dos US$ 70,00 o barril apenas uma semana antes da reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que realizará um encontro de emergência na próxima sexta-feira. Mas, enquanto a Opep pode tentar reduzir sua produção em 1 milhão de barris ou mais por dia, nem todos estão convencidos de que um corte deste tipo seria suficiente para evitar que o petróleo caia ainda mais, caso a recessão global continue a minar a demanda.

"Eu não acho que haverá uma base para o preço do petróleo nem antes nem depois da reunião, embora ela possa ter tido algum impacto nos preços hoje", disse Jim Ritterbusch, presidente da Ritterbusch & Associates. "O ponto principal é que as reuniões da Opep vão simplesmente ser ofuscadas pela deterioração da demanda", acrescentou. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.