Tamanho do texto

Os preços do petróleo avançaram pela sétima sessão consecutiva em Nova York, com o barril de referência ganhando 95 centavos, a 78,53 dólares, estimulado pela melhora da produção industrial nos Estados Unidos e por novas tensões na Nigéria.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril de "light sweet crude" (denominação do West Texas Intermediate nos Estados Unidos) para entrega em novembro encerrou a 78,53 dólares, um alta de 95 centavos. É o nível mais alto do barril desde outubro de 2008.

Em Londres, o barril de Brent do Mar do Norte fechou a 76,99 dólares, avançando 76 centavos.

O cru acumula assim sete pregões seguidos de alta em Nova York, com uma alta acumulada de 13% (9 dólares).

"O principal fator que orienta o mercado são as previsões econômicas", disse Jason Schenker, da Prestige Economics. "As cifras da produção industrial conduziram os preços para cima".

A produção industrial dos Estados Unidos avançou em setembro pelo terceiro mês consecutivo, bem mais do que o previsto, o que eleva as previsões sobre uma alta da demanda de cru no país.

"Outro fator importante é o forte movimento dos preços de ontem (quinta-feira), por ocasião da surpreendente estatística sobre as reservas" de gasolina nos Estados Unidos, disse Schenker.

Outro elemento que ajudou a sustentar os preços foi o Movimento pela Emancipação do delta do Níger (Mend), principal grupo armado do sul da Nigéria, que anunciou o fim de um cessar-fogo de 90 dias.

O grupo costuma atacar ou sabotar instalações petroleiras na área, tanto nigerianas quanto estrangeiras.

gmo/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.