Tamanho do texto

Os preços dos contratos futuros do petróleo fecharam em alta, impulsionados pela apreciação do euro em relação ao dólar depois de a União Europeia anunciar a criação de um fundo de 750 bilhões de euros que será usado para combater crises sistêmicas no bloco e para estabilizar a moeda europeia. O fundo será composto por 440 bilhões de euros em recursos dos países da zona do euro que serão disponibilizados por meio de mecanismos de empréstimos e garantias, por 60 bilhões de euros de um fundo já mantido pela Comissão Europeia e por uma contribuição de 250 bilhões de euros do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Os preços dos contratos futuros do petróleo fecharam em alta, impulsionados pela apreciação do euro em relação ao dólar depois de a União Europeia anunciar a criação de um fundo de 750 bilhões de euros que será usado para combater crises sistêmicas no bloco e para estabilizar a moeda europeia. O fundo será composto por 440 bilhões de euros em recursos dos países da zona do euro que serão disponibilizados por meio de mecanismos de empréstimos e garantias, por 60 bilhões de euros de um fundo já mantido pela Comissão Europeia e por uma contribuição de 250 bilhões de euros do Fundo Monetário Internacional (FMI).

A notícia chegou a impulsionar o euro para uma máxima de US$ 1,3095. Pouco depois do fechamento do mercado de petróleo, a moeda subia para US$ 1,2779, de US$ 1,2732 na tarde de sexta-feira. A apreciação do euro tornou as commodities denominadas em dólar mais baratas para os investidores europeus.

O contrato futuros do petróleo com vencimento em junho negociado na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês) fechou em alta de 2,25%, a US$ 76,80 por barril, com máxima de US$ 78,51 e mínima de US$ 75,80 durante a sessão. Ainda assim, o contrato recuperou apenas parte dos US$ 11 por barril perdidos na semana passada, em meio à pressão gerada pelos receios com a economia europeia e com o aumento dos estoques dos EUA.

Em Londres, o contrato futuro do petróleo tipo Brent com vencimento em junho avançou 2,4%, para US$ 80,12 por barril, após fechar a sessão de sexta-feira com o menor preço desde 15 de março. Operadores disseram que dados sobre as importações chinesas de petróleo também ajudaram a valorizar o barril, assim como a notícia de que um campo de petróleo tipo Brent no mar do Norte passará por um período de manutenção e reduzirá sua produção. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.