Tamanho do texto

SÃO PAULO - O conflito armado na Faixa de Gaza fez o preço do petróleo fechar em alta nesta segunda-feira. O temor no mercado é de que os ataques de Israel ao grupo islâmico Hamas possam interromper a produção no Oriente Médio.

O contrato de WTI negociado para o mês de fevereiro em Nova York fechou a US$ 40,02, com alta de US$ 2,31. O vencimento para março avançou US$ 2,50, para US$ 43,03. Em Londres, o barril de Brent para fevereiro subiu US$ 2,18, para US$ 40,55. O contrato para o mês seguinte fechou a US$ 43,20, com valorização de US$ 2,20.

Apesar da alta, os contratos devolveram parte da valorização do dia (o barril de WTI chegou a US$ 42,20). Embora o mercado aproveite as notícias para tentar reavivar o ativo após a pesada queda dos últimos meses, o risco de que o conflito realmente prejudique os embarques de petróleo continua sendo pequeno.

Israel convocou reservistas e enviou tanques para a fronteira com a Faixa de Gaza. Seu ministro da Defesa, Ehud Barak, disse que essa é uma " guerra até a morte " . O Hamas controla a Faixa de Gaza e tem apoio do Irã, segundo maior produtor de petróleo do mundo.

De acordo com as Nações Unidas, cerca de 320 palestinos já morreram desde o início dos ataques, no sábado. Quatro israelenses teriam sido mortos por foguetes lançados de Gaza.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.