Tamanho do texto

Os contratos futuros de petróleo fecharam em baixa nesta sexta-feira, acompanhando a queda das ações, em meio a preocupações renovadas com o ritmo de recuperação da economia e com a demanda pela commodity. O contrato com vencimento em dezembro fechou na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês) em queda de US$ 0,74, ou 0,96%, a US$ 76,72 o barril, em seu último dia de negociações.

O contrato de janeiro, já o mais negociado, recuou US$ 0,58, ou 0,7%, para US$ 77,47 o barril. Na ICE, o contrato do Brent para janeiro caiu US$ 0,44, para US$ 77,20 o barril.

Os operadores do mercado de petróleo estão usando as ações como medida do vigor e do ritmo da recuperação econômica dos EUA; a queda das ações, portanto, traduz-se em expectativas de uma recuperação mais fraca, com menor demanda por petróleo. Ao mesmo tempo, a apreciação do dólar, que também ocorreu hoje, torna o petróleo mais caro.

Esses dois fatores - ações e dólar - pressionaram os futuros de petróleo ao longo de toda a sexta-feira. Mas também pesou a incapacidade da commodity de atingir novas máximas nesta semana, apontou o analista Peter Beutel, da consultoria Cameron Hanover. "Na quarta-feira, houve uma sensação de decepção com o fato de o petróleo e as ações não terem rompido as máximas", disse ele. "Quando o petróleo mostrou-se incapaz de segurar-se acima dos US$ 82 o barril, ele fez com que muitos comprados liquidassem suas posições enquanto reavaliavam o caminho que esse mercado deverá seguir."

Beutel tem aconselhado seus clientes a evitarem ficar expostos demais a apostas na alta dos preços. "Se o dólar não atingir novas mínimas e as ações novas máximas de maneira consistente, não há nenhuma razão para comprar petróleo agora", afirmou. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.