Tamanho do texto

Estoques de petróleo bruto do país tiveram uma redução de 4,375 milhões de barris na semana passada

selo

Os preços do petróleo subiram, em reação à surpreendente redução nos estoques norte-americanos na semana passada. Outro fator foi a diminuição dos temores quanto à dívida da Grécia, depois de o Parlamento daquele país aprovar um pacote de medidas de austeridade

Segundo o Departamento de Energia dos EUA (DOE, na sigla em inglês), os estoques de petróleo bruto do país tiveram uma redução de 4,375 milhões de barris na semana passada; os analistas previam uma redução muito menor, de 1,6 milhão de barris. 

"O mercado já se inclinava para uma alta depois da votação na Grécia, e então recebemos o informe sobre os estoques e isso puxou os preços para cima", disse o analista Matt Smith, da Summit Energy. 

Com a alta desta quarta-feira, os preços já recuperaram praticamente todo o terreno perdido depois de a Agência Internacional de Energia (AIE) anunciar, na quinta-feira passada, que seus membros concordaram em liberar 60 milhões de barris de suas reservas estratégicas. Em seguida àquele anúncio, os preços chegaram a cair abaixo dos US$ 90 por barril. 

"Uma faixa de US$ 90 a US$ 100 provavelmente faz sentido. Vamos encarar os fatos: 60 milhões de barris não são tanto assim; é menos do que a oferta global em um dia", comentou Kyle Cooper, da IAF Energy Advisors.

Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), os contratos de petróleo para agosto fecharam a US$ 94,77 por barril, em alta de US$ 1,88 (2,02%). Na plataforma ICE, os contratos do petróleo Brent para agosto fecharam a US$ 112,40 por barril, em alta de US$ 3,62 (3,33%). As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.