Tamanho do texto

SÃO PAULO - O pregão foi de volatilidade para os preços futuros de petróleo. Os contratos, que fecharam em alta ontem, operaram em baixa significativa durante boa parte do dia, sob pressão de dados mostrando estoques altos e demanda baixa.

O rumo dos preços mudou já no final da tarde, em movimento qualificado pelo mercado de ajuste.

O contrato de WTI negociado para o mês de março em Nova York fechou a US$ 46,47, com alta de US$ 2,80. O vencimento para o mês seguinte subiu US$ 3,38, para US$ 49,21. Em Londres, o barril de Brent para março avançou US$ 2,98, para US$ 48,37. O contrato para abril encerrou vendido a US$ 50,06, com valorização de US$ 2,91.

Especulações de que a redução da cota de produção dos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) possa finalmente equilibrar a ponta de oferta em relação à retração do consumo global ganharam corpo neste fim de tarde, dando justificativa para a valorização.

Antes disso, no entanto, as cotações do produto caíram significativamente, sob influência do aumento de mais de 6 milhões de barris nos estoques de gasolina e de óleo cru nos Estados Unidos na última semana. A redução da demanda por combustível nas últimas quarto semanas no país também contou pontos, bem como a recessão no Reino Unido, que reportou a segunda retração seguida no PIB trimestral.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.