Tamanho do texto

A diretora da área de Gás da Petrobras, Graça Foster, disse hoje que, apesar do aumento da oferta de gás previsto com a exploração do pré-sal, o Brasil continuará importando o produto da Bolívia, pois essa relação é extremamente interessante para o Brasil, segundo ela. Temos possibilidade real de aumento da oferta, mas, como suprimento, o gás da Bolívia é fantástico, disse ela, durante teleconferência com analistas.

Segundo a executiva, em 2013 a área de exploração e produção da Petrobras tornará disponível para a área de gás e energia um adicional de 71 milhões de metros cúbicos de gás por dia, que deverão estar disponíveis para comercialização. Graça disse que o aumento da oferta no Brasil é bem-vindo porque dá condição de flexibilidade ao País. Mas, do ponto de vista econômico, conforme a diretora, "o gás da Bolívia é muito conveniente para o Brasil e certamente para a Petrobras".

A estatal brasileira também atua como operadora na Bolívia e, portanto, conhece as reservas daquele país. Os investimentos da Petrobras no exterior foram mantidos em US$ 15,9 bilhões para o período 2009-2013. O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, afirmou hoje que o aporte de US$ 1 bilhão anunciado há duas semanas para a Bolívia pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva já estava contemplado no plano anterior.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.