Tamanho do texto

SÃO PAULO - A Petrobras anunciou há pouco que investirá US$ 174,4 nos próximos cinco anos, ante US$ 112 bilhões do plano atual. Durante a apresentação de seu plano de negócios referente ao período entre 2009 a 2013, a companhia informou ainda que a meta é reduzir esse número, com a obtenção de descontos, com a execução do mesmo número de projetos.

A expectativa do presidente da companhia, José Sérgio Gabrielli, é que o recuo do preço do petróleo possa refletir também nos custos dos investimentos.

"Não queremos manter investimentos nesse valor, queremos realizar projetos com custos menores. Vamos adotar procedimentos para sinalizar aos fornecedores que queremos capturar o que o mercado aponta nos preços do petróleo e da energia", disse o executivo.

Para calcular a viabilidade do plano, a Petrobras levou em conta um valor médio de US$ 42 por barril de petróleo. "A meta de alavancagem é de 25% a 35%, com financiamento vindo de diferentes fontes", disse.

Na avaliação de Gabrielli, a necessidade financiamento é viável, já que a geração de caixa prevista com um barril valendo US$ 42 seria de US$ 120 bilhões no período. Levando em conta que a empresa espera reduzir custos junto a fornecedores, os US$ 54 bilhões excedentes a serem captados podem diminuir com o tempo.

O total de aportes será dividido da seguinte maneira: exploração e produção devem receber US$ 92 bilhões; abastecimento contará com US$ 46,9 bilhões; a área de gás e energia terá US$ 10,6 bilhões; petroquímica ficará com US$ 16,8 bilhões; distribuição terá US$ 2,1 bilhões; biocombustíveis receberá US$ 2,4 bilhões; e investimentos corporativos, que incluem pesquisa e desenvolvimento, somarão US$ 2,5 bilhões.

Do total de investimentos, Gabrieli afirma que os novos projetos somam US$ 47,9 bilhões, dos quais US$ 28 bilhões serão destinados para o pré-sal. Mas também neste caso, o executivo espera reduzir custos a partir do aumento do conhecimento do reservatório e dos modelos de produção. Além disso, os aportes no pré-sal também dependem da aprovação dos parceiros da empresa no projeto.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.