Tamanho do texto

A Perdigão confirmou ontem a concessão de férias coletivas de 30 dias aos 2,88 mil funcionários das unidades de abate em Porto Alegre e Lajeado (RS). A medida, segundo a empresa, vai adequar sua produção à queda das exportações.

O diretor de relações institucionais da empresa, Ricardo Menezes, disse que o ajuste segue as recomendações da Associação Brasileira dos Exportadores de Frango (Abef) e já é seguido também por outras empresas do setor. "Não há previsão de demissões", afirmou.

A fabricante de caminhões Iveco, do grupo Fiat, também vai conceder férias coletivas até 2 de marçona fábrica de Sete Lagoas (MG). A medida, cujo objetivo é reduzir os estoques, foi confirmada ontem, mas a empresa não informou quantos operários serão incluídos. Atualmente, 1,8 mil funcionários trabalham na unidade. Esse é o terceiro anúncio de férias coletivas desde dezembro do ano passado. O sindicato dos metalúrgicos diz que a Iveco trabalha com 30% da capacidade.

Em Diadema (SP), os trabalhadores da fabricante de autopeças TRW conseguiram reverter parte das demissões do fim do ano passado após um mês de protestos e uma semana de greve. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, metade das 172 demissões foi cancelada. A empresa confirma a readmissão de 70 funcionários. Segundo o sindicato, o acordo prevê estabilidade de três meses para os cerca de 530 funcionários da unidade. Os demitidos, ainda de acordo com a entidade, vão receber um pacote de benefícios que inclui três meses de salários, prorrogação do plano de saúde por seis meses e mais seis meses de cesta básica.

Na capital paulista, o sindicato dos metalúrgicos aprovou acordo com a fabricante de rodas Novex para manter os 184 empregos. A proposta prevê redução de 20% da jornada e de salário por três meses, em troca de seis meses de estabilidade. A redução salarial não pode ultrapassar R$ 1,2 mil.

A diminuição de renda foi rejeitada ontem em São José dos Campos (SP). A proposta de redução de jornada e dos salários em 25% foi apresentada pela Associação dos Empresários do Chácaras Reunidas que representa mais de cem empresas.

A CUT e a Associação Nacional dos Sindicatos da Micro e Pequena Indústria fecharam acordo para manutenção de empregos. As propostas incluem redução de tributos federais, estaduais e municipais e renegociação da dívida das empresas. Caso as medidas sejam aceitas pelos governos, as empresas se comprometeriam a manter o nível de emprego de 30 de janeiro.

Em Sorocaba, a 92 km de São Paulo, a ZF do Brasil, do setor de autopeças, confirmou a demissão de 236 empregados. Segundo a empresa, as dispensas foram motivadas pela redução da demanda da indústria automobilística. Em razão da crise, houve corte nos fornecimentos a clientes brasileiros e também no exterior. Segundo o sindicato, em janeiro a ZF havia demitido outros 70 funcionários.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.