Tamanho do texto

São Paulo, 15 - O fim do pagamento do PIS e Cofins nas operações com carne bovina no mercado interno beneficia exclusivamente os frigoríficos e não tem impacto sobre a pecuária, reclamam os criadores, que brigam pela desoneração de toda a cadeia. Para o produtor, que paga PIS e Cofins sobre uma série de produtos, a medida não traz qualquer benefício, afirma Antenor Nogueira, presidente da comissão de pecuária da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

Segundo Nogueira, o governo havia prometido a isenção desses tributos também para os insumos utilizados na pecuária, como suplementos minerais, rações e medicamentos. "Faz cinco anos que a gente discute isso. Conversamos várias vezes com o Aloizio Mercadante (PT-SP) e fomos a várias reuniões na Receita. Foi acertado que toda a cadeia seria beneficiada. De repente, surgiu essa emenda na MP 462 (que originou a Lei nº 12.058, publicada ontem no Diário Oficial), excluindo o setor produtivo", afirma.

Para Luciano Vacari, superintendente da Associação dos Criadores do Mato Grosso, não existe qualquer chance de a indústria repassar o ganho para o produtor. "Esta é uma medida que beneficia apenas o frigorífico, sem qualquer impacto no restante da cadeia. Se fosse estendida a todo o setor, teríamos uma redução brutal nos custos para o produtor", afirma. "É uma questão de lobby. Vamos nos articular para que isso se estenda para os demais elos."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.