Tamanho do texto

Atenas, 25 out (EFE).- Todas as viagens da empresa grega de ferrovias foram suspensos a partir desta segunda-feira, durante três dias, devido a protestos dos trabalhadores contra os planos do Governo de privatizar a companhia.

Atenas, 25 out (EFE).- Todas as viagens da empresa grega de ferrovias foram suspensos a partir desta segunda-feira, durante três dias, devido a protestos dos trabalhadores contra os planos do Governo de privatizar a companhia. A greve paralisou o transporte de passageiros e mercadorias por trem e afeta também as conexões internacionais, segundo informaram à agência Efe fontes da companhia. Já na noite de domingo, dezenas de trajetos foram modificados ou cancelados. O sindicato da empresa de ferrovias (POS) confirmou nesta segunda-feira que não serão cumpridos nem os serviços mínimos, garantindo que o tráfico ferroviário ficará completamente paralisado. A organização se opõe a uma lei que prevê a venda de 49% da empresa estatal e que será tramitada nesta terça-feira no Parlamento heleno. As interrupções se prolongarão até quarta. Está previsto que, na quinta, o serviço volte a funcionar, ficando novamente interrompido sexta-feira, desta vez por uma greve de 24 horas. O POS afirma que a empresa não é competitiva, e que a nova lei, que prevê cortes de pessoal, aumento do preço das viagens e redução dos trajetos, significará "o fim da companhia", segundo comentaram à Efe fontes sindicalistas. Os trabalhadores atribuem o déficit fiscal da empresa, que tem uma dívida de 10,7 bilhões de euros, ao pagamento de empréstimos para obras de infraestrutura e não aos salários dos empregados (cerca de seis mil). O Governo grego planeja abrir processos de privatização nas empresas estatais que não são competitivas, enquanto o país passa por grave crise de endividamento e déficit público. EFE afb/fm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.