Tamanho do texto

Diretora-gerente do Fundo, Christine Lagarde, afirmou que aumento do teto da dívida americana evitou uma grave ruptura na economia

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, parabenizou nesta terça-feira os Estados Unidos pela aprovação do acordo para elevar o limite da dívida do País e reduzir as depesas.

Christine Lagarde, diretora-gerente do FMI: EUA devem ter objetivos claros para o déficit
Getty Images
Christine Lagarde, diretora-gerente do FMI: EUA devem ter objetivos claros para o déficit

Em nota enviada ao governo americano, Lagarde disse que a decisão vai reduzir as incertezas do mercado financeiro internacional e reforçar a credibilidade fiscal dos EUA.

A confiança na economia americana foi colocada em xeque nas últimas semanas após suscessivas tentativas fracassadas de congressistas e da Casa Branca de aprovar um plano para evitar um calote nos credores.

No comunicado, Lagarde afirmou que "aumentar o teto da dívida significa que uma grave ruptura econômica  foi evitada", enfatizando que a etepa seguinte, com a redução do déficit americano é um passo importante em direção à consolidação fiscal.

"Dada a fragilidade da recuperação econômica, os cortes de despesas devem ser adotados em etapas e de forma não excessiva para não prejudicar o crescimento", acrescentou Lagarde.

Para a diretora-gerente do FMI, o principal desafio para os políticos americanos está em desenvolver um quadro de consolidação da economia que inclui a dívida de médio prazo e objetivos claros para o déficit do País.

"Colocar as finanças públicas numa trajetória sustentável implica identificar mais economias nos gastos direitos, bem como novas fontes de receitas", afirmou Lagarde.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas