Tamanho do texto

Por Cesar Bianconi e Guillermo Parra-Bernal SÃO PAULO (Reuters) - O Grupo Pão de Açúcar espera ter expansão das vendas no Natal acima da média do setor, afirmou à Reuters nesta quarta-feira o vice-presidente financeiro da companhia, Enéas Pestana.

Pesquisa da Abras, associação que representa os supermercados do país, apontou que a indústria vê crescimento de 7,9 por cento nas vendas de fim de ano em relação a 2008.

"Devemos progredir acima desse patamar... Vai ser um Natal sensacional, não tenho dúvida disso. Novembro já indica isso. Vamos ter um crescimento importante de venda neste último trimestre em função, principalmente, de novembro e dezembro", disse Pestana, sem citar números.

No terceiro trimestre, as vendas brutas do Pão de Açúcar no conceito "mesmas lojas" --com unidades em operação há pelo menos 12 meses-- tiveram aumento real de 5,1 por cento. De janeiro a setembro, a expansão foi de 3,8 por cento.

Conforme o executivo, 2010 promete ainda mais, por ser ano de Copa do Mundo e de eleições.

Além disso, ele mencionou o forte crescimento da construção civil como propulsor de vendas no varejo. "A expansão imobiliária é uma alavanca para bens de consumo duráveis muito importante", observou.

INVESTIMENTOS

De acordo com Pestana, os investimentos do Pão de Açúcar em 2010 serão "muito acima" dos 750 milhões de reais orçados para este ano, concentrados na abertura de lojas ExtraFácil, com média de três caixas, e Assai --bandeira do grupo no "atacarejo".

O plano será financiado com recursos do próprio caixa. A empresa deverá encerrar 2009 com 2,3 bilhões de reais em disponibilidades e com dívida líquida representando menos de 0,5 vez a geração de caixa medida pelo Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação).

"Estamos com uma estrutura de capital que a partir do ano que vem beira o desserviço, porque estamos com muita liquidez", disse Pestana. "O que se sugere, neste caso, é um nível maior ainda de investimento e de crescimento, mas acreditamos que pode vir oportunidade de consolidação", prosseguiu, sem dar mais detalhes.

Em junho, o Pão de Açúcar comprou a rede varejista de eletroeletrônicos Ponto Frio em uma transação estimada em 1,2 bilhão de reais em dinheiro e ações.

CASINO

O Pão de Açúcar tem como sócio o varejista francês Casino.

O plano estratégico de três anos da companhia brasileira não considera expansão internacional, mas Pestana revelou que vai buscar sinergias com as operações do Casino na América do Sul --Argentina, Colômbia, Uruguai e Venezuela.

"Hoje cada país tem sua estrutura, contabilidade e tecnologia. Tem muita sinergia para se buscar pensando em Casino e temos provocado isso", disse.

"Inclusive contratos globais de importação que podemos fazer e reduzir os custos. Isso já vem sendo discutido e devemos começar a capturar (as sinergias) em 2010", completou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas