Tamanho do texto

Ministro das Finanças da Nigéria e da colombia devem ser indicados

O ministro das Finanças da Nigéria, Ngozi Okonjo-Iweala, e o ex-ministro das Finanças da Colômbia, José Antonio Ocampo, devem ser indicados para comandar o Banco Mundial, disseram na terça-feira fontes com conhecimento dos esforços dos mercados emergentes para encontrar candidatos.

As candidaturas de Okonjo-Iweala e Ocampo, que têm as credenciais de economistas e diplomatas e, de acordo com fontes, o apoio respectivo da África do Sul e do Brasil, são um desafio aos Estados Unidos. Essa é a primeira vez que a liderança do país no Banco Mundial é contestada.

Mas com sua maioria de votos e o esperado apoio de países europeus, os Estados Unidos ainda devem garantir que outro norte-americano suceda Robert Zoellick, que planeja deixar o cargo quando seu mandato terminar no final de junho.

Washington detém a presidência desde a fundação do banco após a Segunda Guerra Mundial, enquanto um europeu sempre liderou o Fundo Monetário Internacional (FMI). Os EUA ainda têm de apontar publicamente um candidato para suceder Zoellick.

O prazo final para submeter as indicações é sexta-feira, e a administração Obama afirmou que apontará um nome até lá. Todos os 187 membros do Banco Mundial se comprometeram em adotar um processo com base em mérito para escolher o sucessor de Zoellick.

Três fontes disseram que Ocampo, atualmente professor da Universidade de Columbia, em Nova York, será formalmente indicado pelo Brasil.

Uma fonte afirmou que Okonjo-Iweala pode ser indicado nesta quarta-feira, enquanto outras duas afirmaram que isso acontecerá na sexta-feira.

As indicações serão entregues ao conselho do Banco Mundial, formado por 25 membros. O conselho afirmou que decidirá sobre o novo presidente no próximo mês.

(Reportagem adicional de Kevin Yao em Pequim e Frank Jack Daniel em Nova Délhi)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.