Tamanho do texto

Índice Markit de atividade manufatureira caiu de 58,0 para 54,6, com forte desaceleração de Itália e Irlanda

Novos sinais de declínio nas fábricas dos países altamente endividados da zona do euro pressionaram a expansão manufatureira da região como um todo em maio, segundo uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira.

O índice Markit de atividade manufatureira caiu de 58,0 em abril para 54,6 em maio. A leitura foi revisada ligeiramente para baixo, ante estimativa inicial de 54,8, mas ainda ficou pelo 20º mês acima da marca de 50 que separa crescimento de contração.

A pesquisa mostrou retração nas manufatureiras da Espanha, enquanto as fábricas da Itália e da Irlanda viram uma acentuada desaceleração no crescimento.

Mesmo as produtoras da França e da Alemanha, que têm impulsionado a recuperação econômica do bloco, viram as taxas de expansão caírem.

A medida dos preços de insumos desabou de 78,9 para 69,4 no mês passado -- menor nível desde novembro. O índice de preços finais também caiu, ainda que modestamente, para a mínima em quatro meses.

O índice de produção manufatureira recuou de 60,2 para 55,2, pior leitura em sete meses.

O componente de novas encomendas, por sua vez, atingiu o menor ponto desde setembro. Sinalizando uma confiança mais fraca do consumidor, o Markit disse que a maior redução foi vista em bens de consumo, onde o aumento das novas encomendas chegou perto da estagnação.

A contratação nas fábricas da zona do euro diminuiu pelo terceiro mês seguido, após dados mostrarem, na terça-feira, que a taxa de desemprego da região ficou estável em 9,9%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.