Tamanho do texto

Período coincidiu com prêmios recordes da Mega-Sena, levando a grandes filas em muitas das mais de dez mil casas do país

As casas lotéricas brasileiras viveram períodos de grande procura nos primeiros dias de outubro, por uma combinação da greve dos bancos e dos sorteios recordes da Mega-Sena, que chegou a pagar R$ 119 milhões .

Um balanço da Caixa Econômica Federal, obtido com exclusividade pelo iG , aponta que a procura das agências para transações bancárias subiu em média 6% entre os dias 1º e 13 de outubro, em relação ao mesmo período de setembro – antes da greve, portanto.

O número de transações neste mês, comparado ao anterior, chegou a crescer ao pico de 22% no dia 11, uma segunda-feira, comparado ao dia 10 de setembro. É no dia 10 que se concentram boa parte dos pagamentos de títulos.

Segundo a Caixa, apesar de a greve ter coincidido com a procura maior dos jogadores por conta da Mega-Sena acumulada, não houve nenhum problema técnico nos sistemas de informática das lotéricas e da Caixa durante esse período de maior procura.

O problema maior enfrentado pelos freqüentadores das lotéricas no período foram as filas, por conta do acúmulo dos pagamentos em decorrência da greve e dos jogos na Mega-Sena, que são feitos nos mesmos caixas.

Em todo o Brasil, existem mais de 10 mil casas lotéricas, que tiveram faturamento mensal de R$ 150 milhões, na média de 2010, até o mês passado.

Do total de transações feitas pessoalmente na Caixa, 72% delas são efetuadas em casas lotéricas. É também nas lotéricas onde são feitas 42% de todas as transações dos sistemas da Caixa Econômica (incluindo meios eletrônicos, como telefone, internet e caixa eletrônico).

    Leia tudo sobre: mega-sena
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.