Tamanho do texto

Organização também concluiu que, em 2011, governo europeu forneceu aproximadamente R$ 32,6 bilhões à Airbus em subsídios

A Organização Mundial do Comércio (OMC) concluiu que a fabricante norte-americana de aviões Boeing recebeu de US$ 3 bilhões a US$ 4 bilhões em subsídios ilegais na forma de bolsas federais de pesquisa e isenções fiscais locais, informou nesta segunda-feira a principal autoridade comercial dos EUA.

O representante comercial dos EUA, Ron Kirk, considerou a decisão "uma grande vitória" para o país porque dois outros painéis da OMC concluíram, no ano passado, que governos europeus forneceram us$ 18 bilhões em subsídios à Airbus.

"Agora está claro que subsídios europeus à Airbus são muito maiores e mais distorcidos do que qualquer coisa que os EUA fizeram pela Boeing", disse Kirk em um comunicado.

"Os EUA estão prontos para discutirem todas as descobertas da OMC, e esperamos que a Europa faça o mesmo. A Airbus é uma companhia madura e altamente capaz, com pronto acesso a financiamento comercial. Não precisa do apoio que os governos europeus estão continuam a fornecer", acrescentou.

O órgão de recursos da OMC culpou os EUA por os fundos de pesquisa da Nasa e do Departamento de Defesa terem beneficiado a Boeing e por isenções fiscais concedidos pelo Estado de Washington e pela cidade de Wichita, Estado do Kansas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.