Tamanho do texto

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A OGX, braço de petróleo do grupo EBX, do empresário Eike Batista, anunciou na noite de segunda-feira que os recursos potenciais riscados líquidos da empresa foram elevados de 4,8 para 6,7 bilhões de barris de óleo equivalente pela consultoria DeGolyer & MacNaughton (D&M), responsável pelas duas certificações. Na avaliação anterior, a probabilidade média de sucesso de era de 27 por cento e agora subiu para 34,5 por cento, segundo comunicado da companhia.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237573616075&_c_=MiGComponente_C

A empresa também informou que os recursos contingentes líquidos são da ordem de 212 milhões de boe na bacia do Parnaíba, dado baseado em um poço perfurado em 1987 no bloco PN-T-68 onde foram constatados indícios de hidrocarbonetos. Em setembro a empresa adquiriu a concessão de sete blocos terrestres na bacia do Parnaíba, no Maranhão.

O relatório incluiu os recém adquiridos dados sísmicos para cinco blocos que compõem a parte sul da bacia de Campos e para os cinco blocos da bacia do Espírito Santo. Foi também incluída a estimativa preliminar de volumes baseados nas poucas linhas sísmicas disponíveis dos sete blocos adquiridos recentemente na bacia do Parnaíba, no Estado do Maranhão.

"Em linha com o aumento substancial dos volumes, a OGX está revisando seu plano de negócios de modo a refletir o escopo adicional de atividades necessárias para suportar o processo de transformação de recursos em reservas provadas e acelerar a produção", informou a OGX.

Conforme o novo cronograma preliminar, serão 72 poços marítimos, ante 51 previstos anteriormente, e 7 poços terrestres. Para 2010 estão previstas as perfurações de 27 poços, ante 19 da previsão anterior.

(Por Denise Luna)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.