Tamanho do texto

WASHINGTON - A assessoria do presidente dos EUA, Barack Obama, ganhou nas últimas semanas o reforço de dois especialistas em assuntos latino-americanos, que estão ajudando a prepará-lo para a reunião terá com os líderes da região na 5ª Cúpula das Américas, que será realizada em abril, em Trinidad e Tobago. O ex-embaixador Jeffrey Davidow, que representou os EUA no México e na Venezuela e foi o principal representante do Departamento de Estado para a América Latina no primeiro mandato do ex-presidente Bill Clinton, foi recrutado para coordenar o trabalho dos funcionários envolvidos com os preparativos para a reunião.

Dan Restrepo, que coordenou a equipe de assessores de Obama para assuntos latino-americanos durante a campanha eleitoral do ano passado, foi escolhido para cuidar da região no Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca. Ele trabalhava no Centro para o Progresso Americano, um centro de estudos, e sua nomeação deve ser formalizada em dias.

A reunião de abril em Trinidad e Tobago será a primeira oportunidade que Obama terá para manter contato pessoal com a maioria dos líderes latino-americanos. Ele se encontrou com o presidente do México, Felipe Calderón, antes de tomar posse, e deve receber o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Casa Branca em duas semanas.

Obama promete mudar o relacionamento dos EUA com a América Latina, eliminando as tensões que afastaram os EUA de países como a Venezuela, a Bolívia e o Equador no governo do ex-presidente George Bush e propondo novas parcerias com países como o Brasil. Mas é improvável que sua equipe consiga formular novas iniciativas para a região antes de Trinidad.

Obama manteve no cargo em caráter provisório o secretário-assistente de Estado para a América Latina, Thomas Shannon, principal diplomata para a região desde o segundo mandato de Bush. É possível que ele seja substituído após a Cúpula das Américas. Em conversas reservadas, Shannon tem expressado interesse em assumir a embaixada dos EUA no Brasil se tiver que deixar o posto atual.

Lula e Obama deverão se reunir em Washington no próximo dia 14, um sábado. O encontro tinha sido programado para o dia 17, mas precisou ser transferido para outra data porque esse é o Dia de São Patrício, padroeiro da Irlanda, e nesse dia Obama deverá receber o premiê irlandês, Brian Cowen, mantendo uma tradição.

(Ricardo Balthazar | Valor Econômico)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.