Tamanho do texto

Washington, 10 mai (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, reenviou hoje ao Congresso um pacto de cooperação nuclear civil com a Rússia, estagnado desde que Moscou invadiu a Geórgia há dois anos.

Washington, 10 mai (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, reenviou hoje ao Congresso um pacto de cooperação nuclear civil com a Rússia, estagnado desde que Moscou invadiu a Geórgia há dois anos. A decisão do líder americano confirma o degelo na relação entre os dois países, que já levou à assinatura do acordo de redução de armamento nuclear, assinado em Praga em abril, e pendente agora de ratificação no Congresso. Em carta enviada ao Congresso, Obama afirmou que Washington e Moscou "aumentaram sua cooperação de modo significativo" nos últimos 12 meses na luta contra a proliferação e em matéria de energia nuclear civil. Obama ressaltou que "o nível e a cooperação de Rússia e EUA sobre o Irã são suficientes para justificar que voltemos a enviar o acordo proposto ao Congresso". A Rússia deu sinais de que apoiará a imposição de sanções contra o Irã no Conselho de Segurança das Nações Unidas e se ofereceu para processar urânio iraniano em seu território. Segundo Obama, a situação na Geórgia não deve ser considerada um obstáculo para a aprovação do acordo, que, se receber o sinal verde do Congresso, teria uma vigência de 30 anos. O acordo não precisa da ratificação formal do Congresso, por não ser um tratado, mas ao apresentá-lo ao Senador e à Câmara, as Casas têm um prazo de 90 dias para estudá-lo e decidirem se querem impor um veto. O pacto possibilitará, entre outros aspectos, a transferência de tecnologia, material e equipamentos atômicos americanos à Rússia para seu uso na pesquisa nuclear e em centrais de produção de eletricidade. Também permitirá a criação de joint venture binacionais no setor nuclear e que a Rússia processe combustível nuclear proveniente dos EUA. EFE mv/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.