Tamanho do texto

Total de 15,8 milhões de pessoas procuravam emprego na região em julho; desaceleração econômica freia mercado de trabalho

selo

A taxa de desemprego ficou estável em 10% em julho na zona do euro, mas o número de pessoas sem emprego subiu pelo terceiro mês seguido, em um sinal de que a desaceleração econômica na região já pode estar freando o mercado de trabalho.

O número de desempregados na zona do euro subiu 61 mil em julho, após elevação de 24 mil em junho e 64 mil em maio, disse a agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat.

Em termos sazonalmente ajustados, a taxa de desemprego ficou estável em comparação ao mês de junho, quando a taxa foi revisada em alta de 9,9% para 10%. A taxa de desemprego de maio também foi revisada em alta para 10%. Economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam que a taxa de desemprego ficasse em 9,9% em julho.

Havia um total de 15,8 milhões de desempregados em julho na zona do euro, 247 mil abaixo de julho do ano passado.

A Espanha e a Irlanda, dois países que introduziram medidas de austeridade para reduzir o déficit orçamentário, tiveram relevante deterioração do mercado de trabalho. A taxa de desemprego na Espanha, a mais alta na zona do euro, subiu para 21,1% em julho, de 21% em junho, enquanto que na Irlanda, a taxa de desemprego avançou para 14,5%, de 14,3% em junho.

Na França, a taxa de desemprego avançou para 9,9% em julho, de 9,8% em junho; na Itália e na Alemanha, a taxa de desemprego ficou estável em 8% e 6,1%, respectivamente. As informações são da Dow Jones.