Tamanho do texto

RIO DE JANEIRO - O presidente da França, Nicolas Sarkozy, disse nesta segunda-feira que o Brasil e a França devem levar uma proposta conjunta para a reunião do G-20, que será realizada no dia 2 de abril em Londres. A Europa vai trabalhar de mãos dadas com o Brasil.

É fundamental que o Brasil e a França cheguem com uma proposta que mostre que não queremos um mundo de especuladores, mas de empresários. Não queremos que quem nos colocou nesta situação nos diga quando sair dela", disse, em palestra durante o 2º Encontro Brasil-União Européia, no Rio de Janeiro, onde desembarcou com a primeira-dama, Carla Bruni, esta manhã.

Sarkozy e sua esposa, Carla Bruni, chegam ao hotel Copacana Palace


Sarkozy se esforçou em sua palestra para mostrar afinidade com o presidente Lula, que criticou os especuladores de mercado e os responsabilizou pela crise. "A Europa acredita no futuro do Brasil e tem fé na política do presidente Lula", disse ele, que acrescentou que Lula falou sobre algo fundamental, que é a volta da política ao mundo".

Sarkozy defendeu ainda que "precisamos do presidente Lula como membro permanente do Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) e afirmou que "o Brasil não é potência de amanhã, mas de hoje". Sarkozy e Lula vão almoçar juntos no Copacabana Palace, onde está sendo realizado o evento.

Leia mais sobre: Sarkozy

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.