Tamanho do texto

O bilionário mexicano e empresário do setor de telecomunicações Carlos Slim Helu, afirmou que a New York Times Co. deveria implementar uma combinação de acesso livre e acesso pago em seu conteúdo online.

Slim acrescentou que acredita que as pessoas se disporiam a pagar pelo serviço.

Além de acionista da Net Serviços, Slim é proprietário do grupo Telmex e da América Móvil, que no Brasil controlam, respectivamente, a Embratel e a Claro.

Em janeiro, Slim emprestou à dona do jornal The New York Times US$ 250 milhões em troca de uma fatia de 7% e tornou-se o terceiro maior acionista da companhia, que tem lutado contra o aumento dos custos e a baixa circulação. Embora outros jornais tenham tido dificuldades na transição para o formato eletrônico, Slim afirmou que o New York Times tem feito um bom trabalho nesse movimento. Cobrar pelo acesso a parte do conteúdo é o próximo passo.

"Há muitos meios de fazer isso", disse Slim à agência Dow Jones nos bastidores da conferência WSJ CEO Council, em Washington. "Você deve dar aos consumidores o que eles querem, quando eles querem", acrescentou. Slim não quis especificar qual seria o melhor meio de fazer isso. Entre as possibilidades, estão um formato de assinatura ou um de pagamento por textos isolados.

Durante o evento, Slim comentou também que a publicidade continua sendo importante e deverá melhorar conforme a economia se recuperar. No entanto, ele não detalhou sua opinião sobre a situação atual. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.