Tamanho do texto

Espaço na capital paulista passa a abrigar também barracas de comida; nesta-quarta-feira, o público aproveitou o dia do hambúrguer

A onda de food trucks e da comida de rua em grandes cidades gerou um outro tipo de negócio. Foi aberto na segunda-feira (19) o  Butantan Food Park , na cidade de São Paulo. Com capacidade para receber de 25 a 30 expositores, a praça de alimentação a céu aberto(instalada no bairro do Butantã), foi idealizada pelos criadores da Feirinha Gastronômica, no bairro da Vila Madalena, na zona oeste da capital paulista.

Confira como é o Food Park e conheça negócios móveis no Brasil e no mundo:

O investimento inicial se equipara ao valor de abertura de três restaurantes de porte médio, de acordo com os idealizadores.

No número 47 da Rua Agostinho Cantu são servidos sanduíches, crepes, tapiocas, massas, comidas mexicanas, inglesas e indianas, doces e até vinho. O espaço de 1.400 metros quadrados contou na terça-feira (20) com a presença de food trucks como o Fichips Food, Ned Crepes e Cia, Los Mendozitos, Burger Lab, La Buena Station e Salve Salve , além de algumas barraquinhas como as do bar Astor, A Torta de Maçã e dos restaurantes Tartar&Co e EAT.

Nesta quarta-feira (21), o Butantan Food Park abrigou a Feirinha Gastronômica SP Burger Fest , com 16 participantes e a venda de hambúrgueres, milk shakes e cervejas. 

Com um modelo de parceria muito similar ao da Feirinha Gastronômica da Vila Madalena, a preferência de escolha se dá pela diversidade e pela originalidade dos estabelecimentos. Para alugar um espaço, o interessado deve desembolsar de R$ 2 mil a R$ 4 mil, dependendo do tamanho da food truck ou da barraca. O modelo de negócio é semelhante ao que se vê em muitas cidades alemãs com os conhecidos biergarten.

“Sempre acreditamos na comida de rua e investimos nisso em projetos como a Feirinha Gastronômica e o Chefs na Rua", conta Maurício Schuartz, um dos idealizadores do projeto. “Nosso objetivo é fazer uma praça de alimentação democrática, que atenda aos desejos de todos que passarem por ali. Para isso, é realizado um grande trabalho de curadoria”, complementa a curadora do projeto, Daniela Narciso.

O local fica aberto ao público de segunda-feira a quarta-feira, das 11h às 16h, de quinta-feira a sábado, das 11h às 22h, e domingo, das 11h às 20h.