Tamanho do texto

São Paulo - Militantes e simpatizantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) vão realizar amanhã um ato em defesa da reforma agrária na região na Iaras, no interior de São Paulo. O ato ocorrerá nas proximidades da fazenda da Cutrale que, após ter sido ocupada, em setembro, teve parte de sua plantação de laranjas destruída.

As imagens da destruição do laranjal por um trator, captadas pela Polícia Militar (PM) e reproduzidas pelas emissoras de TV, provocaram uma onda de indignação e favoreceram a criação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) criada para investigar eventuais ações irregulares do MST, cuja instalação deve ocorrer nos próximos dias.

De acordo com a assessoria do movimento, um dos principais objetivos do ato de amanhã será a denúncia da grilagem de terras públicas na região de Iaras. A fazenda da Cutrale está instalada numa área reivindicada na Justiça pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) como terra devoluta. No total, são quase 40 mil hectares em disputa. Em alguns casos o governo federal já obteve ganho de causa e destinou as terras para a reforma agrária. Cerca de 350 famílias foram assentadas na região. O ato ocorrerá num dos acampamentos já existentes, o Zumbi dos Palmares. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.