Tamanho do texto

Rio de Janeiro, 1 dez (EFE).- Uma missão empresarial da região espanhola da Galícia visitou hoje o Rio de Janeiro em busca de oportunidades de negócios nesta região do Brasil, informaram fontes oficiais.

A comitiva espanhola é formada por 30 empresas de setores como o alimentício (principalmente o pesqueiro), vitivinícola, elétrico, naval, madeireiro, audiovisual e construção civil, entre outros, e tem o apoio da Xunta de Galicia e da Câmara de Pontevedra.

Os empresários galegos almoçaram com seus pares brasileiros na sede da Federação de Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), onde foram informados sobre as características econômicas, as possibilidades de investimentos e perspectivas de desenvolvimento regional. Depois, participaram de conversas de negócios.

"Foi uma visita muito positiva, porque o Brasil vive um momento muito bom, respondeu bem à crise mundial e apresenta grandes possibilidades de investimento em setores como energia, petróleo, infraestrutura e petroquímica", disse à Agência Efe o gerente do Centro Internacional de Negócios da Firjan, João Paulo Alcântara Gomes.

Gomes acrescentou que o fato de o Rio ser uma das cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 e a sede dos Jogos Olímpicos de 2016 abre muitas possibilidades de negócios na região.

"O ambiente no Rio de Janeiro é muito propício para os negócios e os investimentos. Isso pode servir não só para o desenvolvimento do Brasil, mas para ajudar nossos parceiros espanhóis a acelerarem a saída da crise mundial", disse.

A visita dos empresários galegos ao Rio ocorreu às vésperas da chegada de uma grande delegação espanhola a São Paulo para o quinto Fórum de Investimentos e Cooperação Empresarial Espanha-Brasil.

Este fórum tem o patrocínio do Instituto Espanhol de Comércio Exterior (ICEX) e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX). O evento começa amanhã e termina na próxima quinta-feira.

Entre os setores da economia espanhola que participarão dessa reunião, se destacam os de alta cosmética, calçados, têxtil, eletrônica, energias renováveis e infraestruturas.

Segundo o ICEX, o objetivo é "estabelecer alianças estratégicas" entre companhias em novos setores-chave como água, saneamento, energia e meio ambiente. EFE joc/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.