Tamanho do texto

Plano inclui redução do emprego e reestruturação do setor público e racionalização dos benefícios

selo

O Banco Central Europeu (BCE), o Fundo Monetário Internacional (FMI) e a Comissão Europeia disseram, em nota divulgada nesta sexta-feira sobre as conclusões das equipes técnicas após missão na Grécia , que o governo grego se comprometeu com uma ambiciosa estratégia fiscal de médio prazo, capaz de levar o país a manter suas metas fiscais para 2011 e para o médio prazo.

Esta estratégia, diz a nota, inclui "uma redução significativa do emprego no setor público, reestruturação ou fechamento de entidades públicas e racionalização dos benefícios, protegendo, ao mesmo tempo, grupos vulneráveis".

No lado da receita, informa a nota, o governo irá reduzir os benefícios de impostos, aumentar os impostos sobre as propriedades e acelerar esforços para combater a evasão fiscal.

O BCE, o FMI e a Comissão Europeia chegaram a um acordo com as autoridades para o estabelecimento de políticas econômicas e financeiras necessárias para atingir os objetivos do programa econômico em andamento no país.

Segundo a nota, a rígida implementação de tais medidas ajudará o país a recuperar sua sustentabilidade fiscal, proteger a estabilidade do setor financeiro e incentivar a competitividade para criar as condições para um crescimento e emprego sustentáveis.

A nota diz que houve significante progresso, em particular na área de consolidação fiscal, durante o primeiro ano do programa de ajuste. Mas que reformas estruturais amplas e um maior vigor fiscal são necessários para reduzir mais o déficit do país e atingir "a massa crítica das reformas necessárias para melhorar o ambiente aos negócios e solidificar o caminho para a recuperação econômica".

Plano de privatização

O governo da Grécia está comprometido em acelerar significativamente seu programa de privatização , informaram o BCE, o FMI e União Europeia hoje.

Para atingir esse objetivo, o governo grego criará uma agência de privatização profissional e administrada de forma independente e elaborará uma lista detalhada de bens para serem privatizados a fim de obter uma receita de 50 bilhões de euros até o final de 2015.

Segundo o comunicado, o governo grego também irá avaliar os progressos das metas intermediárias trimestrais e anuais.

Setor financeiro

A liquidez do setor financeiro da Grécia permanece apertada, mas políticas estão em curso para garantir a oferta adequada de liquidez ao sistema bancário, destacaram o BCE, o FMI e a União Europeia.

Segundo a nota divulgada nesta sexta-feira, o setor bancário da Grécia continua fundamentalmente sólido e as autoridades estão aumentando as exigências de capital para fortalecer mais os colchões de capital, dando prioridade às soluções baseadas no mercado privado. "No entanto, o Fundo de Estabilidade Financeira está disponível como uma proteção para os bancos em boas condições financeiras, que não podem levantar capital no mercado privado", destacaram as instituições. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.